Recomendado

Satisfaccion Garantizada Recomendado Tripadvisor
info@trilhaincamachupicchu.com.br
Telefone: +51-(84) 261394
+51 984 368884whatsapp

MAL DE ALTURA

Eu vi que existem muitas dicas a respeito do mal de altura, mais porem nenhum tópico com dicas mais aprofundadas e úteis para um problema que afeta muito a muitas pessoas que viajam a cidades com altitudes a, mas de 2.800 m, segundo as estatísticas médicas, 92% dos turistas que chegam a altitudes superiores a 3.000 m, vindos do nível do mar em uma hora para outra é o tal do "mal da altitude", termo popular "Soroche" para o Mal Agudo das Montanhas (Acute Mountain Sickness, AMS). Eu resolvi fazer este pequeno texto com algumas dicas de como evitar e minimizar os efeitos desse problema.
Observação: O mal de altitude não acontece com todos os indivíduos. Cada organismo reage de maneira diferente, alguns dizem que é mais psicológico e o melhor é sentir-se tranquilo e fazer suas atividades de maneira normal.

Na grande maioria dos casos os sintomas são leves e duram de 4 a 24 horas, dependendo de cada pessoa. Estes sintomas são:
- Dor de cabeça (95%)
- Náuseas e vômitos (70%)
- Tontura (58%)
- Perda de apetite
- Insônia
- Falta de ar a pequenos esforços

Normalmente no segundo ou terceiro dia da viagem você já estará aclimatado e esses sintomas diminuirão bastante, desaparecendo por volta de 3 dias. É muito importante, portanto, nesse período de aclimatação tomar algumas medidas para amenizar os sintomas e evitar complicações, como o edema agudo pulmonar e cerebral. Estas sao algumas dessas medidas a tomar em conta:
- Na altitude, principalmente com o clima seco do Peru, perdemos muito líquido. A hidratação deve ser reforçadíssima. Recomenda-se a ingestão de 3 a 4 litros de água diariamente nessas condições; portanto, garrafinha de água na mochila e muito importante. Restrição na ingestão de comidas que estejam muito condimentadas e a ingestão de bebidas de álcool.
- Nada de atividades físicas extenuantes nos dois primeiros dias, caminhadas leves. Se ficar muito cansado e ofegante, pare e descanse, se não melhorar, volte para o hotel para descansar.
- Nada de subir ainda mais enquanto não estiver aclimatado. Acima dos 3.400 metros recomenda-se no máximo mais 300 por dia, seja escalando ou de carro, ou seja, se você chegou a Cusco em certo dia e for ao nevado de Salkantay (a mais de 4630 metros) no dia seguinte, a chance de você ter a doença de altura é gigantesca!!
- Nada de álcool ou cigarro: Álcool nos primeiros dias desidrata e provoca mais tonturas e náuseas. O cigarro vai te atrapalhar ainda mais para respirar!!
Além dessas medidas comportamentais, há também a prevenção e tratamento medicamentos:
- Se você vai sair do nível do mar e seu destino é uma cidade acima dos 3400 m, como Cusco, há alguns medicamentos que podem ser administrados previamente e que, se não evitam os sintomas, pelo menos minimizam seus efeitos e, principalmente, evitam as complicações e aceleram a aclimatação:
* Acetazolamida (Diamox): recomenda-se a ingestão de 125mg 2 vezes ao dia (a cada 12 horas) um dia antes da saída para a altitude e segue até o segundo ou terceiro dia, na altitude. Essa substância é um diurético, que acidifica o sangue, fazendo com que respiremos mais rápido, facilitando na adaptação. A acetazolamida não mascara os sintomas, apenas minimiza principalmente a falta de ar noturna (quando dormimos a frequência respiratória cai, e isso na altitude causa muitos problemas...). Por ser diurético, você vai ir ao banheiro por diversas vezes (mais um motivo para tomar bastante água, não vá ficar desidratado!) e pode ter um formigamento na ponta dos dedos e na face. Os refrigerantes e outras bebidas gaseificadas podem ficar com sabor estranho. Alérgicos a sulfa não podem tomá-la!
* Dexametasona (Decadron): se você for médico ou for viajar acompanhado de um ou passar em consulta antes da viagem; alguns pesquisadores recomendam o uso de 4mg de decadron, de 12/12h no dia da viagem e no primeiro dia na altitude, eu não recomendo o seu uso sem supervisão especializada a dexametasona, ao contrário da acetazolamida, mascara os sintomas, ou seja, você vai sentir-se bem, mas não ajuda na adaptação à altitude.

Para os sintomas do "Mal da altitude" recomenda-se:

Orientamo-nos a nossos clientes após a chegada a Cusco descansar pelo menos umas 3 horas, beber muita agua ou tomar um chá de coca, fazer caminhadas leves, comer alimentos à base sopas, saladas e frutas, Não beber bebidas alcoólicas nos primeiros dias.

Outas dicas:

- Dor de cabeça: o Ibuprofeno (Alivium, Dalsy...), 600mg de 8/8h é normalmente a primeira escolha. Paracetamol (tylenol) e AAS também podem ser usados.
- Náuseas ou vômitos: O Plasil ou o Motilium podem ser usados. Evite o Dramin, como ele causa sono, a frequência respiratória diminui e pode piorar a falta de ar.
***Cuidado: Não use medicação para dormir!!! (Diazepam ou equivalentes). Esses remédios causam diminuição da frequência respiratória, e na altitude isso pode até mesmo ocasionar uma parada respiratória. Se estiver com dificuldades para dormir, tome um diamox (125 ou 250mg) pela noite, ele vai aumentar a frequência respiratória, propiciando uma melhor oxigenação noturna (apesar de acordar várias vezes para ir ao banheiro).